Coloque aqui seu email para receber as novidades do blog

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

FILMES IMPERDÍVEIS DA HUMANIDADE


Sempre admirei aqueles que fazem rir as pessoas. Talvez por ter na família esse lado mais festeiro, principalmente o meu pai e eu percebia, ainda sem saber direito o que era aquilo, que esse tipo de comportamento tornava qualquer ambiente mais leve e as pessoas mais felizes.

Por ter cultivado esses sentimentos até hoje tenho predileção por situações que levem a esse estado de leveza e alegria, seja nas relações interpessoais ou nos momentos de lazer.

Passando o tempo, tomei gosto por quem retratasse situações absurdas, non sense mesmo, quando mais absurdo, melhor! Tanto que na escola deviam achar que eu era retardado, pois achava graça de coisas que ninguém conseguia rir...

Aqui em Salvador apareceram peças como Abafabanca, A Bofetada e a Novíssima Poesia Baiana e tive a felicidade de conhecê-los ainda em seus primórdios, de maneira crua e avassalador.

Aquilo para mim foi um choque, pois vi que era possível criar ou reproduzir essas coisas grotescas artística e profissionalmente, ganhar dinheiro e ter reconhecimento das pessoas. Tanto no teatro, ao vivo, como nos cinemas.

Deve ter sido por isso que escolhi ser Contador.

Para situar, isso deve ter ocorrido lá pelos idos 1988, sei lá, tô com preguiça de pesquisar, e não tínhamos internet ou dvds piratas a R$ 2,00, o lance era assistir as peças no TVV ou Sala do Coro do TCA ou lugares bem roots ou alugar as adoráveis fitas VHS, quando achava uma locadora que tivesse filmes menos famosos.

Nessa época, compartilhar arquivos era emprestar as fitas para quem tivesse dois equipamentos de vídeo cassete e conhecimento em eletrônica fazer as cópias ou juntar a galera para tomar cerveja e assistir juntos. Sim, sou do tempo em que as pessoas se reuniam!

Tive a felicidade de encontrar pessoas, poucas, mas que tinham o mesmo gosto
Filmes como "Apertem os Cintos, o Piloto Sumiu", "Spaceballs", "Irmãos Cara de Pau", "Banzé do Oeste", "A História do Mundo, Parte I" e "Top Secret" marcaram indelevelmente os meus parâmetros de o que é humor.

Foi numas dessas que conheci o Monty Python, em a "A Vida de Brian" e, para mim aquele que é um dos melhores filmes de humor em todos os tempos "Em busca do Cálice Sagrado" e graças às maravilhas e facilidades que a internet oferecem compartilho com vocês (vocês)?

Divirtam-se.


sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013