Coloque aqui seu email para receber as novidades do blog

domingo, 22 de dezembro de 2013

GRANDES RIFFS DE GUITARRA DA HUMANIDADE - PARTE II

Especial Led Zeppelin - As 5 mais:

Kashmir


Misty Mountain Hop


Black Dog


Rock and Roll


Whole lotta a love

Essa é a melhor de todas de todos os tempos

sábado, 21 de dezembro de 2013

GRANDES RIFFS DE GUITARRA DA HUMANIDADE

6 dos riffs de guitarra fodasticos da humanidade

Guns and Roses - Welcome to the jungle


Steppenwof - Born to be wild


Jimi Hendrix - Foxy lady


AC/DC - Jailbreak


Black Sabbath - Paranoid


Rage Against the MAchine - Killing in the name


 sempre existirá música boa.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

A GENEROSIDADE PAULISTANA

São Paulo é uma cidade magnífica: grandiosa, exagerada, frenética, fria, cinza, cruel, com muitas oportunidades e onde só os fortes sobrevivem.

O seu cotidiano faz com que as pessoas se afastem , vivendo cada uma em seu mundo e seus problemas.

Como diria o poeta "Não existe amos em SP".

Mas nesse final de semana, durante a minha incursão à capital paulista, vi que ainda existe generosidade que brota no meio do duro concreto da cidade.

Uma pequena demonstração de desprendimento das coisas materiais, perdida em meio à crueza do dia a dia e que passa despercebida pela maioria das pessoas.

Estava lá, esquecida e luminosa nos degraus do ônibus.


Detalhe: eu saí por outra porta.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

LET'S TALK ABOUT: POLÍTICA

Todo o oba oba envolvendo a prisão dos políticos do "mensalão", o evento considerado histórico no país, bem como as expectativas de que novos tempos se avizinham, de uma política mais limpa e realmente comprometida com seus fins, essas coisas todas só me faz pensar em uma coisa:

Balela.

Balela pura.

Conversa para boi dormir.

Como dizem: jogaram para a galera.

Um "cala a boca" geral, pegando os envolvidos para cristo daqueles que praticam desmandos no poder.

Não sou defensor de nenhum partido ou de político, tenho verdadeira aversão a sindicatos e dessas entidades organizadas criadas com a finalidade de defender certas causas.

Para mim, todos são, de um jeito ou de outro, oportunistas interessados unicamente em seus interesses particulares.

O que mais me incomoda nesse processo todo,é o sentimento de que a bandalheira é exclusiva de um único partido político.

Na verdade, a bandalheira é na política, jogo sujo e imoral, validado pelos cordeiros eleitores. Vide os Calheiros, Sarneys, Collors, Magalhães e tantos outros sobrenomes de próceres famílias que, de fato, tem os seus patrimônios engordados à medida que a população em geral míngua sem médico, sem escola, sem serviços básicos. Mas isso é só uma coincidência, não é?

Sinto que no final, vamos ficar por isso mesmo e que outros políticos igualmente acusados de corrupção e que estão por aí soltos, continuarão livres e eleitos, já que a mácula da roubalheira não lhes cabe.

Outro ponto que não consigo entender é porque estão buscando apenas os culpados, sem se importarem com a coisa pública, que foi devidamente expropriada por aqueles que dela se locupletaram.

Ninguém fala em devolverem os milhões desviados.

O que para mim, em ignorância, deixa claro que a preocupação é uma só: política. De uma decisão do preposto em aplicar a lei que lá está por motivos predominantemente políticos.

Em que pese a relevância do fato, o casuísmo dá forte nota nesse ponto.

E os ignorantes dormirão felizes e sentindo-se protegidos por mais um que no fim das contas preocupa-se com seus mesquinhos e pessoais interesses.

No fundo, no fundo continuamos na mesma lama, sem futuro.

E tenho dito.

domingo, 17 de novembro de 2013

VISITA VIRTUAL À DISNEYLANDIA

Na verdade, na verdade não vejo a menor graça na Disneylândia. Mas por comparação, pelo fato de provocar os sentimentos mais abestalhativos nas pessoas, foi quase a mesma coisa que senti quando vi isso.


O museu da Honda oferece uma visita virtual via google maps, onde conseguimos ver, juntos vários carros que fizeram história no automobilismo: Williams de Piquet e Mansell, as McLarens de Senna, Jordan de Barrichelo e muitos outros carros.

Como tenho medo de furacão, terremotos e tsunamis, provavelmente nunca irei ao Japão, então fica a dica.

Aproveitando, tem também um Museu em homenagem a Juan Manuel Fangio, que também permite visitas virtuais.

Nesse caso, a minha frustração foi quando fui à Buenos Aires achando que Balcarce era o nome de um bairro, mas na verdade é uma cidade que fica a uns 400 Kms da capital. Como sou uma pessoa muito bem organizada e planejadora, descobri isso já lá....

Também lá tem carros históricos, como a Mercedes flexa de prata W196 Streamliner, uma das coisas mais lindas construídas para corridas em todos os tempos...


quarta-feira, 13 de novembro de 2013

LET'S TALK ABOUT: FORMULA 1: CARROS PÍFIOS, DESEMPENHO LINDO

Ou: assim deve ser o bico de uma carro de Fórmula 1 em 2014.

Quando pensava que a criatividade humana para criar horribilidades automobilísticas tinha chegado ao ápice com os degraus nos carros de Formula 1, eis que surge, no site da Autosport um primeiro entendimento do regulamento do ano que vem e os caras deduziram que teremos de ver durante todo o campeonato alguma coisa parecida com isso aí debaixo....


Tudo bem a Fórmula 1 é um esporte predominantemente masculino, mas acho exagerada essa necessidade de afirmação.

Tomara que eles estejam errados...

Vi no blog: http://www.joseinacio.com/

Atualizando: parece que o carro tá fazendo assim


sábado, 9 de novembro de 2013

LET'S TALK ABOUT: CINEMA - O ENIGMA DE KASPAR HAUSER

SINOPSE

Um rapaz esfarrapado é encontrado em Nuremberg, em 1828. Ele só sabe falar a palavra "cavalo" e tem nas mãos uma carta explicando sua história: tinha 16 anos e vivera até então num porão, nada conhecendo do mundo exterior. Recolhido pela prefeitura local e exposto com curiosidade, foi finalmente adotado por um homem rico que o ensinou a ler e escrever, mas nunca solucionou seu mistério. Seria ele um herdeiro nobre rejeitado, uma criança roubada, um impostor ou um louco?
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Quando ganhei esse filme de meu irmão já tinha passado pelas aulas de sociologia na faculdade, logo o assisti livre do contexto acadêmico, o que me permitiu, de alguma forma, tirar minhas próprias impressões.

É um filme pesado e arrastado, diferente dos padrões hollywoodianos.

Achei o filme perturbador, pois foi talvez a primeira vez onde percebi que não existe uma verdade absoluta. Passou a fazer sentido o ditado de que a "realidade está nos olhos de quem a vê".

De como é retratada a crueldade da religião e da ciência, na forma impositiva de fazerem valer suas idéias, negando e desqualificando brutalmente qualquer coisa que venha em sentido contrário. Ou seja: é tudo a mesma coisa, só que com um verniz diferente.

Que Mozart é o melhor meio de expressar o que alma sente desde sempre, seja tocando ou ouvindo.

E a vida. A soma de todas as escolhas e oportunidades que só a morte liberta...



FICHA TÉCNICA


Gênero: Drama
Direção: Werner Herzog
Elenco: Brigitte Mira, Elis Pilgrim, Enno Patalas, Gloria Doer, Hans Musau, Henry Van Luck, Michael Kroecher, Volker Prechtel, Walter Ladengast, Willy Semmelrogge
Duração: 101 min.
Ano: 1974
País: Alemanha
Cor: Colorido

Fonte:

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

LET'S TALK ABOUT: FÓRMULA 1 - CARROS LINDOS, DESEMPENHO PÍFIO - PARTE 3

Hoje vou falar sobre o modelo M16 que a equipe Spyker utilizou para a temporada 2006.


Foi assim, como ver o maaaaaaaar......

Esse carro não tem nada de especial: nem é tão lindo assim, apesar do esquema de cores ser bem interessante. Só o desempenho que foi pífio mesmo.

Não tinha pilotos interessantes, muito pelo contrário, e ainda viviam uma guerra fratricida nos bastidores da equipe.

Esportivamente o seu maior mérito é de ser a equipe sucessora da fugaz Midland que sucedeu a simpática Jordan.


O que o faz merecedor de estar frequentando esse valioso espaço é o fato de ter sido o primeiro carro de fórmula 1 que vi ao vivo em minha vida, naquele já distante 21 de outubro de 2006 às 11 horas da manhã, mais ou menos, saindo dos boxes e rasgando a reta oposta do circuito de Interlagos, pilotado por.. por.....por..... sei lá, se foi o Tiago Monteiro, Chistija Albers, Saddam Houssein ou Lessie, o que importa foi ouvir a sinfonia suave do V8 da Toyota naquela volta de aquecimento.


EPILOGO

A Spyker virou Force India que atualmente vem fazendo um trabalho decente.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

O IMPORTANTE É TER HISTÓRIAS PARA CONTAR - PARTE 8

Ou mais um motivo para justificar o porque parei de beber.

Ou o mais um dia em que quase morri. ou

O dia em quase virei santo.

...Para começar, tudo o que vou contar é a pura verdade ou mais ou menos isso, bem como toda a história que eu contei aqui até agora.

Dizem que para o cara virar santo tem de acontecer três milagres. Nesse dia foram dois.

Isso aconteceu lá pelo ano de 1990 ou 91, e era um final de semana prolongado onde íamos passá-lo na praia com a família. O feriado caiu na sexta feira, e marcamos, eu e um amigo para encontrar umas meninas lá na quinta feira,véspera do feriado portanto, para aproveitar que não teria ninguém em casa e aproveitar que não teria ninguém em casa.

Naquela época, para um evento dessa magnitude, bastava um violão, água, bebida e qualquer coisa para comer.

Não que eu soubesse tocar, mas depois da terceira, qualquer coisa que saísse era música da melhor qualidade.

Foi tudo organizado para acontecer conforme as expectativa: o violão, uma garrafa de vodca, água mineral e sanduíche misto no pão de forma (aquele em que a gente fazia o sanduíche e arrumava de volta para a embalagem).

Tudo certo, combinado com as garotas, vamos à la playa, de ônibus, que levava uma hora para passar no ponto e duas para chegar lá.

Todo mundo animado, lépido e fagueiro, arrumamos a casa, nos arrumamos e ficamos a esperar as garotas.

Deu seis, deu sete, deu oito horas da noite e nada das meninas chegarem. Como nessa época não havia celular nem internet, ficamos naquela agonia de esperar para rolar a festa, como diria aquela poetisa.

Lá para tantas, percebemos que deu chabu o esquema e como não havia muita coisa para fazer, fomos para praia prestigiar aquela vodca adquirida com muito sacrifício.

Encostamos numa barraca, começamos a beber, tocar o violão e filosofar sobre como resolveríamos os problemas do mundo.

Chega uma hora em que deu vontade de "ir ao banheiro", e eu vou atender o chamado da natureza lá mesmo, na parede lateral da referida barraca.

A parede na verdade era o balcão da barraca: uma tábua apoiada por hastes de madeira na vertical. Uma coisa rústica artesanal e que devido as irregularidades das hastes deixavam frestas, espaços entre si.

Já possuído pelos espíritos russos tive a sagaz ideia de testar a minha habilidade acertando nessas frestas.

Estava eu animado me aliviando, pois apesar do estado ainda estava com a coordenação motora não muito afetada.

Só que a alegria não durou muito...mal tinha começado comecei a ouvir barulhos vindo de dentro da barraca e gritei pro meu amigo: bróder, tem gente aqui dentro!!!!!!!!!

Percebi imediatamente que tinha acabado de fazer besteira das universalmente gigantes, não deu nem tempo de arrumar a calça quando saíram da barraca dois "armários" e o primeiro milagre aconteceu: fiquei curado do efeito do álcool imediatamente e tentei argumentar e me desculpar do ocorrido. 

Acho que os caras perceberam o meu estado, pelo suave bafo de escapamento de carro a álcool que exalava a cada pedido de desculpas.

Meu amigo veio de lá cheio de argumento também quando um dos caras mostra a cabeça: eu tinha acabado de mijar na cabeça do cidadão que devia estar dormindo dentro da barraca para de manhã cedo abrir a trabalhar e um filhinho de papai, cachaceiro fdp veio atrapalhar o descanso dele.

Quando os caras voltaram para a barraca, o segundo milagre: percebi que um deles estava com uma faca....

sábado, 2 de novembro de 2013

PARA QUE SERVE UM BEBEDOURO

Existe uma cidade no interior da Bahia, chamada Valença, que fica a uns cento e poucos quilômetros de Salvador.

Valença é uma cidade turística. Valença tem lindas praias. Valença tem um centro horrível. Valença tem muito ladrão e traficante.

Enfim, Valença é uma cidade que podemos chamar de grande, se consideramos as características aqui citadas.

Uma coisa que eu desconhecia é que a população de Valença muito higiênica e asseada. Principalmente com a limpeza dos pés.

Tão asseada, que pratica sua higiene em qualquer lugar: em casa, na praça, na escola, em qualquer lugar.

Só não pode na rodoviária da cidade.

Na rodoviária da cidade não tem banheiro.

Na rodoviária da cidade só tem um bebedouro.

Na rodoviária da cidade é terminantemente proibido lavar os pés, lavar as mãos e lavar o rosto.


Quem mora na cidade não frequenta a rodoviária.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

MÚSICA DO DIA - SE GRITAR PEGA LADRÃO



Do jeito que as coisas estão na política, no esporte, enfim, onde há dinheiro e poder, vai chegar a esse ponto.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

O QUE VI POR AÍ











AINDA EXISTE GENTILEZA NA BAHIA

Ou: "O importante é entender a mensagem"

Infelizmente, nós somos muito mal atendidos na área de serviços aqui em Salvador, isso fica muito evidente nos serviços destinados ao "povão" em geral.

Felizmente existem exceções à regra e vou contar-lhes o que aconteceu hoje.

Fui à feira que fica no final da rua onde eu moro, que é na verdade, uma grande ladeira, são mais ou menos trezentos metros de subida, na volta.

Como faz muito calor, e o peso era grande, resolvi pegar um ônibus. è um ponto apenas, mas a ladeira é desanimadora, ainda mais com o peso das compras.

Pois que chegou o ônibus, e o motorista abriu a porta do meio para facilitar a entrada, pois viu que eu estava com muitas sacolas. A partir de agora vou descrever exatamente o discurso e o tempo que você lê esse texto é o tempo real da viagem:

Motorista: Abri a porta do meio para agilizar a entrada. você subir e passar pela borboleta com esse tanto de sacola é barril!

Eu: é complicado mesmo, obrigado. (paguei ao cobrador a passagem e ele girou a borboleta). Fui para frente, pois estava chegando o meu ponto.

Motorista: Tem de ajudar as pessoas, né não meu irmão? Ajudar a subir essa ladeira que é bem INGRIDE.

Eu: E né não?

Agradeci, desci no meu ponto e segui o meu caminho.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

MÚSICA DO DIA - AMELINHA - ROMANCE DA LUA LUA

Para compensar o tempo sem postagens, um petardo da antigas.

Do sempre fodástico Zé Ramalho musicando um poema do Garcia Lorca, eternizado na voz sensacional de Amelinha.

Divirtam-se!



ROMANCE DA LUA LUA

Sobre à frágua
Veio a lua,
Com seus babados de renda.

O menino mira, mira.
O menino a está mirando.

No ar súbito, comovido
A lua move seus braços
E mostra, lúbrica e puro,
Seios de duro estanho.

Foge, lua, lua, lua.
Foge, lua, lua, lua.
Foge, lua, lua, lua.
Foge, lua, lua, luaaaaa!

Se viessem os ciganos,
Com teu coração fariam
Anéis e colares brancos.

Oh, foge lua, lua, lua, luaaaa!

Quando vierem os ciganos,
Te acharão sobre a bigorna
Com teus olhinhos fechados.
Foge, lua, lua, lua.
Que já sinto seus cavalos.

Deixa-me, filho, não pises
O meu alvor engomado.
Deixa-me, filho, não pises
O meu alvor engomado.
Deixa-me, filho, não pises
O meu alvor engomado.

Vinha perto o cavaleiro,
Com o tambor do chão tocando.
E, dentro da frágua, o menino
Tem seus olhinhos fechados.

Pelo oliveiral, bronze e sonho,
Eles vinham, os ciganos.
As cabeças para cima
E os olhos sempre-cerrados.

Foge lua, lua, lua,
Foge lua, lua, lua,
Foge lua, lua, lua,
Foge lua, lua, luaaaa!



E dentro da frágua choram,
Dando gritos os ciganos.
O ar da noite vela, vela.
O ar da noite a está velando.

Ai!!
Como canta a coruja,
Como canta no galho!
Através do céu, a lua
Vai o menino levando

Ai! como canta a coruja
Ai! como canta no galho
Através do céu a lua
Vai o menino levando

Ai! como canta a coruja
Ai! como canta no galho
Através do céu a lua
Vai o menino levando

Foge, lua, lua, lua.
Foge, lua, lua, lua.
Foge, lua, lua, lua.
Foge, lua, lua, luaaaaa!

Lua, lua, lua, lua, lua, luaaa!
Lua, lua, lua, lua, lua, luaaa!
Lua, lua, lua, lua, lua, luaaa!


quarta-feira, 15 de maio de 2013

MÚSICA DO DIA - STEPPENWOLF: BORN TO BE WILD

Começando a semana "em casa" depois de dois dias na "capitá".

A ordem é fechar os vidros, ligar o motor e pisar fundo no acelerador.

Seguir na estrada que está lá, esperando por mim....



Born to be wild

Get your motor running
 Head out on the highway
 Looking for adventure
 In whatever comes my way

 Yeah, darling, gonna make it happen
 Take the world in a love embrace
 Fire all of your guns at once and
 Explode into space

 I like smoke and lightning
 Heavy metal thunder
 Racing with the wind
 And the feeling that I'm under

 Yeah, darling, gonna make it happen
 Take the world in a love embrace
 Fire all of your guns at once and
 Explode into space

 Like a true nature's child
 We were born, born to be wild
 We can climb so high
 I never want to die

 Born to be wild
 Born to be wild

 Get your motor running
 Head out on the highway
 Lookin' for adventure
 In whatever comes our way

Yeah, darling, gonna make it happen
Take the world in a love embrace
Fire all of your guns at once and
Explode into space 

Like a true nature's child
We were born, born to be wild
We have climbed so high 
I never want to die 

Born to be wild 
Born to be wild

quarta-feira, 1 de maio de 2013

LET'S TALK ABOUT: FORMULA 1 - CARROS LINDOS, DESEMPENHO PÍFIO - BRABHAM BT55

Um dos maiores delírios do genial projetista Gordon Murray mas também um dos maiores fracassos, pelo menos no ano de 1985.

Para mim, um mais belos carros de todos os tempos.

O BT 55 foi o último exemplar de uma linhagem que conquistou dois mundiais de pilotos com o Nélson Piquet.

Era um projeto arrojado para a época, que investiu pesado na aerodinâmica, ocasionando num carro muito baixo e plano. Com um design limpo e um esquema de cores sóbrio azul escuro e branco, era um conjunto harmoniosamente lindo.


Por ser muito baixo, tinha menos de um metro de altura até o santoantonio, forçava os pilotos guiarem quase deitados com as penas abertas, o que diziam dificultar fazer curvas, tamanho o desconforto que causava.


Além disso, para não interferir na aerodinâmica, a BMW teve de criar uma versão especial do motor M12 turbo "deitado", além de desenvolvimento especial das partes do carro, como suspensão e caixa de marchas, por exemplo.

Lembro do Jornal Nacional anunciar o carro e entrevistarem Niki Lauda e ele respondeu que o carro era lindo, só faltava saber se andava. Mas não andou.


Pouca potência do motor e caixa de marchas frágil provocaram diversas quebras no ano.

O resultado nas pistas foi um fracasso: apenas dois pontos em 16 corridas, além de provocado a morte do piloto Elio de Angelis em testes particulares no circuito de Paul Ricard.

Não é exagero creditar a esse modelo o começo da decadência da Brabham, que encerrou suas atividades anos depois.

Epílogo:

Em 1986 Gordon Murray se mudou para a McLaren, como diretor técnico e dois anos mais tarde, baseado nas idéias do BT55 e corrigidos os erros, construiu o MP4/4, carro que venceu 15 das 16 corridas possíveis e deu o primeiro título a Ayrton Senna.


Dados Técnicos


Carro: Brabham BT55 "Skate"
Projectista: Gordon Murray
Motor: BMW Turbo de 4 cilindros
Pilotos: Riccardo Patrese, Elio De Angelis (4 corridas), Derek Warwick (12 corridas)
Corridas: 16
Vitórias:0
Poles:0
Voltas Mais Rápidas:0
Pontos: 2 (Patrese)

quinta-feira, 25 de abril de 2013

O IMPORTANTE É TER HISTÓRIAS PARA CONTAR

Ou "O dia que o índice de SVPO* atingiu a estratosfera".

Para começar a história vou situá-lo no tempo e espaço: quando esse fato ocorreu eu tinha uns 17 para 18 anos, portanto faz 20 anos (pausa dramática...tô ficando velho) e foi em Salvador, bairro da Mouraria.

Lá havia uma padaria, e como de praxe todos os dias eu ia comprar o pão, nas minhas tarefas domésticas. E o dono da padaria era um cara metido a cantor e os negócios estavam progredindo. Dava-se para ver pelas reformas que fazia na padaria, trocou de carro, etc...

Por saber que ele gostava de música e eu metido a tocador, a gente começou a conversar e trocar idéias e bobagens afins. Numa dessas, ele falou que iria gravar umas músicas que ele compunha. (Nessa época não havia CD e gravar uma música era um processo trabalhoso e caro).

Os dias se seguiam eu comprando pão todo dia e nada de notícia da tal música. Até que um dia....

Como sempre fui comprar pão, dessa vez com meu broder Pedrão, personagem central dessa trama, e quando chegamos na padaria, o cidadão colocou uma caixa de som com volume na estratosfera tocando uma música horrorosa, péssima, feio, mau tocada, mau cantada e mau gravada que chegava a incomodar.

Somado a isso, a padaria estava cheia e a muvuca da galera somada àquilo que o cara chamava de música formavam um quadro horrível.

Como sempre ficava lotada a padaria, a gente se dividia na tarefa: eu ficava no Balcão e Pedrão ia pra fila do caixa, para agilizar o serviço.

Nessa que Pedrão, lá do alto de seus 853 metros de altura está lá na fila e grita bem alto, mais alto que a música altíssima que estava tocando, para mim do outro lado da padaria:

Ô Jorginho, ó que música horrível, parece que um debilóide cantando!!!!

Eu já tinha percebido que parecia com debilóide cantando e que a música era de Jonas (o dono da padaria) tentei avisar ao Pedrão, mas o estrago já estava feito. E para melhorar ele ainda repete. Tudo isso lá do lado do cara...

Pois bem, logo depois o Jonas chega para o pedro e diz: pô cara, essa música é minha...

Pedro todo sem graça, tentou amenizar, dizendo que era brincadeira, que já sabia e estava fazendo só para zuar....E eu que no começo fique constrangido, segundo estágio tentei dar uma força para Pedro e estágio final ri, ri muito...

O estrago já estava feito e ele nunca mais falou com a gente.

Um tempo depois ele vendeu a padaria e nunca mais vi esse cidadão e nem ouvi a música dele. Ainda bem!

Se por acaso se você sabe do paradeiro dessa cara, deixa lá, não quero saber.

*SVPO: Sinto Vergonha Pelos Outros. sinônimo de vergonha alheia.

terça-feira, 23 de abril de 2013

MÚSICA DO DIA

Para mim é inevitável ouvir essa música e lembrar das tardes assistindo TV e comendo biscoito "poca zóio" e leite com nescau...

O vídeo é tosco, mas quem se importa? Spectreman é tosqueira mode on.




Spectreman! Spectreman!
Hear the flash
Like a flame
Faster
Than a plane
A mistery
With the name
Spectreman!
Power
From the space
He'll save
The human race
Yes they'll never know the face
Spectreman!
We will never know the source
Of his power and his force
As he guides this planet's course
Spectreman! Spectreman! Spectreman! Spectreman!

sexta-feira, 19 de abril de 2013

quarta-feira, 17 de abril de 2013

MÚSICA DO DIA

De volta à paranóia. Daqui a pouco vão jogar algumas bombinhas em alguma rebupliqueta sul americana ou emirado, ambos nadando em petróleo, em nome da "liberdade".

sábado, 13 de abril de 2013

MÚSICA DO DIA

Especialíssima...
Eu copiei esse disco em K7
Tinha ainda Cólera, Olho Seco, Ratos de Porão e Psycoze, acho que tinha mais, mas não me lembro




 Buracos Suburbanos
 O dia anoiteceu e a noite esclareceu
A repressão policial

 O céu se fechou e a chuva começou
A inundar esse país

 Favelados se mudando
 E a chuva inundando
Os buracos suburbanos

quarta-feira, 10 de abril de 2013



Falem o que quiser: é feio, é brega, cantam mal, é datado, mas acima de tudo é SENSACIONAL!

Será que esse cara tá vivo ainda?

segunda-feira, 8 de abril de 2013

TRAILER DO FILME RUSH

Aguardo a chegada (em setembro, ainda) desse filme que conta a história da disputa entre James Hunt e Niki Lauda pelo título do campeonato de F1 de 1976.

sábado, 6 de abril de 2013

MÚSICA DO DIA



 Senhoras e Senhores, com vocês: Daúde.

  This is Rock, baby!

quinta-feira, 4 de abril de 2013

MÚSICA DO DIA

Tom Zé - Sem Entrada e Sem Mais Nada.

Desde 1968. Bem que poderia ser feito hoje em dia...

terça-feira, 12 de março de 2013

O IMPORTANTE É TER HISTÓRIAS PARA CONTAR

Ou causos da vida rural.

Essa eu não vivi, mas que o fez é pessoa que não inventa e conta com tanta fé que é impossível não dar crédito.

Pois bem, trabalho em uma fazenda e, apesar de atuar como Contador, eventualmente fazemos visitas à campo para conversar com as pessoas e viver um pouco os números que a gente processa diariamente.

Essa fazenda tem cerca de mil habitantes, entre funcionários, parceiros e agregados, cada um em sua casa, vivendo a sua vida. Como não poderia deixar de ser muita gente tem cachorro e que este faz parte da família e é exatamente um desses animais o personagem principal da história que vos conto:

Estava o colega visitando a casa da família parceira para coletar informações e esse cachorro começou a latir devido a presença do estranho no lugar. E o cachorro latia, girava, avançava, corria  e latia, até que a dona, que estava na lavoura chegou até a frente da casa e grita com o cachorro: "sai daí Cobre cheque"!!!

Cobre cheque era o nome do cachorro e o colega curioso pelo inusitado nome do cão, já que estamos acostumados a nomes comes como lulu, totó, preto, etc.. perguntou qual era o caso daquele nome.

A parceira, enquanto afastava o cachorro disse que era uma homenagem a um presidente da república.

Enquanto meu colega ficava mais curioso e espantado, já que não conseguiu relacionar o nome à pessoa e por ser a primeira vez que a um cachorro era dado o nome de um presidente, a parceira emendou: Cobre cheuqe é o sobrenome (?????) o nome dele mesmo é Juscelino...JUSCELINO COBRECHEQUE!!!!! Presidente do Brasil..............

Vida na roça é assim: cada mergulho é um flash!




sábado, 9 de março de 2013

LET'S TALK ABOUT: FORMULA 1 - CARROS LINDOS, DESEMPENHO PÍFIO

O A23 foi último carro do último ano da equipe Arrows, que, de história conturbada, encerrou suas atividades em 2002, falida.

O que o torna particularmente belo é o seu esquema de cores laranja e preto, além do seu desenho limpo.

Foi pilotado pelo brasileiro Enrique Bernoldi e pelo alemão Heinz Harald Frentzen.

Foi uma "evolução" do carro de 2001 e não teve nenhum momento de destaque na temporada, ao contrário do seu sucessor que teve o momento de brilho no GP de Mônaco ao segurar por 35 voltas David Coulthard da poderosa McLaren.

Com o fim da equipe, os direitos intelectuais do projeto foram vendidos à Minardi que o utilizou no modelo PS04, sem grandes sucessos.

Esse mesmo carro voltou quatro anos depois à ativa, ajustado ao regulamento de 2006, dessa vez como Super Aguri e como é de se esperar, com desempenho igualmente pífio.




sexta-feira, 8 de março de 2013

OS PASTORES, O FACEBOOK, O FRENESI E O NADA

Caros amigos invisíveis.

Ultimamente tem pululado informações nas mídias sociais sobre esse tal do Pastor Marcos Feliciano e as declarações raivosas e sectárias desse indivíduo e sua posterior eleição para presidir a Comissão dos Direitos Humanos, que provocou uma enxurrada de posts igualmente raivosos e sectários daqueles que se sentem chocados com a opinião do cidadão.

A minha preguiça não me deixou procurar saber o que é que essa bendita comissão faz e se é útil para a sociedade brasileira. Mas se considerarmos os relevantes serviços que a imponente casa presta para a sociedade brasileira, temo concluir que essa Comissão não serve para nada, não melhora nada a vida da sociedade brasileira e só serve para os seus participantes saírem bem na foto à época das eleições.

Além do que, deputado e senador entendem é de comissão mesmo.

Pois bem, será que o cara é um caso isolado de racismo e homofobia que temos em todas as figuras públicas da gloriosa e retubante República Federativa do Brasil?

Se ele foi eleito, pressupõe-se que MUITA gente votou nele por ter afinidade nas idéias por ele defendidas, o que torna legítimo o seu papel no cassino que é a câmara dos deputados.

Ele representa significativa parcela da população do seu estado.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Corta para o fato efervescente do agora passado esquecido, sufocado pela necessidade premente de novos factóides para dar o circo para os ativistas do politicamente correto, sentados defronte aos Notebboks, Tablets e SmartPhones montados com mão de obra escrava de criancinhas asiáticas, que foram as declarações do Silas Malafaia.

Movimentos igualmente enfurecidos que desses ativistas pedindo até a cassação dos direitos profissionais desse senhor.

E hoje, cadê??????

Só se consulta com ele, vai na igreja dele e dá o dinheiro para ele quem quiser.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Em comum vejo em ambos os lados, os donos da verdade absoluta e irrefutável, onde não é permitido pensamento contrário, sob pena de execração pública, desqualificação e ridicularização da pessoa que pensa diferente da onda.

Para dar sustentação às suas idéias ambos os lados se amparam fervorosamente e cegamente ou na Bíblia ou na Ciência, um excluindo o outro.

Com bases puramente cientificas os alemães provocaram o holocausto e a eugenia e a igreja as cruzadas e a inquisição.

Triste é perceber que estamos perdendo sistematicamente a capacidade de argumentar e discutir IDÉIAS, nos tornando de alguma forma robozinhos padronizados que apenas REAGEM aos estímulos das informações que são divulgadas nessa que talvez seja uma das invenções mais fantásticas da humanidade que é a internet.

E o homem, em sua infinita capacidade de fazer merda, banaliza o seu uso.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vamos esperar a próxima onda e mergulhar nela com fervor, ódio e crença cega nas convicções que alguém  disse que deveremos ter.

Se o facebook, Twitter, Orkut, ou qualquer coisa parecida  mobilizasse as massas seria proibido ou o seu uso controlado.

Hoje controlados somos nós, homens livres.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------
E tenho dito!

MÚSICA DO DIA

Do nada lembrei dessa música que gostava muito lá pelo ano de 1988. Seja pela canção meio arrastada e que no final acelera, sem refrão, seja pela letra, que conta uma história sem esperança, nem final feliz. Comprei esse disco somente por essa música e descobri que ele é todo bom.

Senhoras e Senhores, com vocês Finis Africae com a música Armadilha.


CHICLETE
Eu não diria que ele existia ela vivia sem saber porque
Andava as ruas pela luz do dia até a hora de escurecer
Em casa à noite via a novela se emocionava sem ter que viver
No intervalo ia até a janela, pensava em alguém que desejaria ver
A sua vida estava atrás da porta e ela não se importava com o fato de não ver
Tanta mentira pra ter "alegria", não se perder nas ruas da cidade
Acreditava ter nascido morta
Daria tudo pra saber porque


A vida apodrece cada boca em cada beijo
O que hoje me dá nojo, ontem foi o meu desejo
A visão escurece, tua imagem já não vejo
Só o amor rejuvenesce a prisão do meu desejo


A falta de privacidade, esperando uma solução
A luta pela liberdade de não morrer de inanição
Eu não diria que ela existia
Ela vivia sem saber porque...

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

FILMES IMPERDÍVEIS DA HUMANIDADE


Sempre admirei aqueles que fazem rir as pessoas. Talvez por ter na família esse lado mais festeiro, principalmente o meu pai e eu percebia, ainda sem saber direito o que era aquilo, que esse tipo de comportamento tornava qualquer ambiente mais leve e as pessoas mais felizes.

Por ter cultivado esses sentimentos até hoje tenho predileção por situações que levem a esse estado de leveza e alegria, seja nas relações interpessoais ou nos momentos de lazer.

Passando o tempo, tomei gosto por quem retratasse situações absurdas, non sense mesmo, quando mais absurdo, melhor! Tanto que na escola deviam achar que eu era retardado, pois achava graça de coisas que ninguém conseguia rir...

Aqui em Salvador apareceram peças como Abafabanca, A Bofetada e a Novíssima Poesia Baiana e tive a felicidade de conhecê-los ainda em seus primórdios, de maneira crua e avassalador.

Aquilo para mim foi um choque, pois vi que era possível criar ou reproduzir essas coisas grotescas artística e profissionalmente, ganhar dinheiro e ter reconhecimento das pessoas. Tanto no teatro, ao vivo, como nos cinemas.

Deve ter sido por isso que escolhi ser Contador.

Para situar, isso deve ter ocorrido lá pelos idos 1988, sei lá, tô com preguiça de pesquisar, e não tínhamos internet ou dvds piratas a R$ 2,00, o lance era assistir as peças no TVV ou Sala do Coro do TCA ou lugares bem roots ou alugar as adoráveis fitas VHS, quando achava uma locadora que tivesse filmes menos famosos.

Nessa época, compartilhar arquivos era emprestar as fitas para quem tivesse dois equipamentos de vídeo cassete e conhecimento em eletrônica fazer as cópias ou juntar a galera para tomar cerveja e assistir juntos. Sim, sou do tempo em que as pessoas se reuniam!

Tive a felicidade de encontrar pessoas, poucas, mas que tinham o mesmo gosto
Filmes como "Apertem os Cintos, o Piloto Sumiu", "Spaceballs", "Irmãos Cara de Pau", "Banzé do Oeste", "A História do Mundo, Parte I" e "Top Secret" marcaram indelevelmente os meus parâmetros de o que é humor.

Foi numas dessas que conheci o Monty Python, em a "A Vida de Brian" e, para mim aquele que é um dos melhores filmes de humor em todos os tempos "Em busca do Cálice Sagrado" e graças às maravilhas e facilidades que a internet oferecem compartilho com vocês (vocês)?

Divirtam-se.


sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013